Ansiedade

Oi meninas!!!!

Hoje vou falar de um assunto bem pessoal, a ansiedade. Sim, eu tenho ansiedade, isso é um problema que pode ser tratado.

Ansiedade, ânsia ou nervosismo é uma característica biológica do ser humano, que antecede momentos de perigo real ou imaginário, marcada por sensações corporais desagradáveis, tais como uma sensação de vazio no estômago, coração batendo rápido, medo intenso, aperto no tórax, transpiração, e outras alterações associadas à disfunção do sistema nervoso autônomo.

Esses dois aspectos, tanto a ansiedade quanto o medo, não surgem na vida da pessoa por uma escolha. Acredita-se que vivências interpessoais e problemas na primeira infância possam ser importantes causas desses sintomas. Além disso, existem causas biológicas como anormalidades químicas no cérebro ou distúrbios hormonais. Ansiedade é um estado emocional que se adquire como consequência de algum ato. Todos nós temos uma consciência que nos permite distinguir o certo do errado quando realizamos algo que a nossa consciência diz ser errado, como adultério, assassinato, ou desacatar alguém que sempre nos fez o bem, sem um motivo real aparente, isso nos leva a uma consciência pesada, é como se a cabeça ficasse literalmente com um peso extra ou sentimento de culpa que impede o nosso equilíbrio. Embora para a medicina alopata a ansiedade não seja doença, para a medicina chinesa a ansiedade é uma doença da energia do corpo, pois não existe órgão lesado que produza marcadores bioquímicos como: hormônios, enzimas que indique lesão etc. mas o desequilíbrio do organismo existe. O desequilíbrio ocorrerá futuramente com o agravo do quadro ou com a evolução do agudo – crônico – degenerativo.

Todas as pessoas podem sentir ansiedade, principalmente com a vida atribulada atual. A ansiedade acaba tornando-se constante na vida de muitas pessoas. Dependendo do grau ou da frequência, pode se tornar patológica e acarretar muitos problemas posteriores, como o transtorno da ansiedade. Portanto, nem sempre é patológica.

Ter ansiedade ou sofrer desse mal faz com que a pessoa perca uma boa parte da sua auto-estima, ou seja, ela deixa de fazer certas coisas porque se julga ser incapaz de realizá-las. Dessa forma, o termo ansiedade está de certa forma ligado à palavra medo, sendo assim a pessoa passa a ter medo de errar quando da realização de diferentes tarefas, sem mesmo chegar a tentar.

A Ansiedade em níveis muito altos, ou quando apresentada com a timidez ou depressão, impede que a pessoa desenvolva seu potencial intelectual. O aprendizado é bloqueado e isso interfere não só no aprendizado da educação tradicional, mas na inteligência social. O indivíduo fica sem saber como se portar em ocasiões sociais ou no trabalho, o que pode levar a estagnação na carreira.

As pessoas ansiosas têm um vasto número de sintomas. Muitos resultam de um aumento da estimulação do sistema nervoso vegetativo ou autónomo, que controla o reflexo ataque-fuga. Outros são somatizações, ou seja, os doentes convertem a ansiedade em problemas fisicos, incluindo dores de cabeça, distúrbios intestinais e tensão muscular.

Cerca da metade das pessoas com ansiedade sofrem principalmente de sintomas físicos, normalmente localizados nos intestinos e no peito. Conforme a sintomatologia, a ansiedade pode ser classificada em vários transtornos, mas sempre quando há um grau patológico, definido como aquele que causa interferência nas atividades normais do indivíduo.

Maneiras de controlar a ansiedade

  1. Reserve espaço na correria diária para fazer o que você realmente gosta e se dedique mais a essas atividades. Pense no seu projeto pessoal, como voltar a estudar, e se programe para realizá-lo.
  2. Organize-se. Faça uma agenda semanal de tarefas, anotando o tempo necessário para cumprir cada item, e deixe tempo para imprevistos, o que impede que a rotina se embole demais.
  3. Não encare o tempo no trânsito como desperdício. Aproveite para refletir.
  4. Marque um almoço para colocar a conversa em dia com as amigas. Pessoas solitárias são mais propensas à hipertensão do que aquelas que convivem com gente querida.
  5. Faça uma coisa por vez e foque no que está fazendo hoje sem se preocupar com o amanhã. Você só tem dois braços e um cérebro.
  6. Relaxe a musculatura. Quando estamos tensas, contraímos tudo e depois ficamos com dores pelo corpo. Solte em especial a musculatura dos ombros e do pescoço com movimentos giratórios bem lentos. Além de relaxar, faça meia hora de atividade física três vezes por semana. Essa quantidade de exercício físico aumenta a oxigenação no cérebro e protege o sistema nervoso. Que tal começar hoje?
  7. Sorria mais. Esse hábito reduz o estresse e a ansiedade, e contagia quem convive com você.
  8. Não leve a ansiedade para a cama. Faça algo relaxante antes de se deitar. Sexo é sempre uma boa pedida!
  9. Pingue cinco gotas de óleo de lavanda numa bacia com água morna e aproxime a cabeça coberta com toalha por cinco minutos. O aroma é mágico! Óleos essenciais de tangerina e camomila também relaxam.
  10. Chás quentes relaxantes, como camomila e erva-cidreira, podem ajudar. Prepare uma xícara todas as noites. Por estar quente, ele nos obriga a beber em pequenos goles e desaceleramos à força. Torradas ou pão integral também chamam o sono. O carboidrato deles induz o cérebro ao relaxamento.
  11. Tenha interesse só seus e se cuide. A insegurança com a aparência é uma das principais fontes de ansiedade no relacionamento.
  12. Use a linguagem do toque. Beije na boca e encoste os pés nos dele ao dormir. Isso dá segurança e relaxa. E reserve um dia para passear a sós com seu amor. Esqueça suas preocupações nesse período.
  13. Ganhou bebê há pouco tempo? Peça ajuda. A chegada de um filho faz com que a mulher tenha menos tempo para si mesma e para o parceiro.
  14. Não desconte na comida. Ansiosas, comemos mais e sem necessidade! Está insatisfeita? Resolva o problema em vez de buscar alívio num doce.
  15. Mas tudo bem contar com a ajuda de alguns alimentos que reduzem a ansiedade, como lentilha, arroz integral, sementes de girassol, abacate, banana e vegetais escuros. Leite, queijo, carnes, ovos e alimentos ricos em fibras, como frutas e grãos integrais e, adivinha! O chocolate, favorecem a serotonina, o hormônio do bem-estar. Invista!
  16. Tempere suas receitas com pimenta. Ela contém uma substância que estimula a produção de endorfinas e provoca sensação de euforia.
  17. Nozes, castanhas e amêndoas contêm cobre e selênio, minerais que ajudam a reduzir o estresse. Fígado e soja são ricos em colina e lecitina, que evitam oscilações bruscas de humor. E salmão e sardinha são verdadeiras porções de alto-astral. Eles contêm selênio e vitamina B12, que combatem a ansiedade e o cansaço.
  18. Quase metade dos consumidores vai às compras por estar triste ou ansiosa. Você não vai cair nessa, vai? Pense que as compras só aliviam momentaneamente a tensão. Depois ela volta e você ainda se sente culpada por ter gastado. Então faça um bom planejamento financeiro e deixe de passar noites em claro!
  19. Pra começar, anote seus gastos fixos, reservando 10% dos seus ganhos para emergências, e descubra quanto sobra para comprinhas. Evite entrar no crediário porque as parcelas baixinhas acabam sendo uma armadilha. Se for difícil resistir diante de uma vitrine, deixe o cartão e o talão de cheques em casa e ande com pouca quantia na carteira.
  20. Seu estado emocional influencia o dos seus filhos. Mantenha a ansiedade longe das crianças construindo um ambiente familiar baseado no afeto. Comece com eles bem pequeninos. Bebês que recebem massagens e carinhos nos primeiros meses choram menos e ter a atenção dos pais durante o banho e na hora de comer os acalma.
  21. Se está endividada, faça uma lista das contas que devem ser pagas primeiro, levando em conta os juros de cada dívida ao decidir quais ficarão para depois. Se necessário, renegocie a dívida com o banco. Às vezes, vale a pena.
  22. Reserve tempo para se divertir com os pequenos. Serve brincar, contar historinhas ou cantar, olhando sempre nos olhos da criança. Isso dá segurança.
  23. Evite conflitos criando regras claras e válidas para todos. Tarefas e uma rotina com horários regulares transmite mais segurança. Por exemplo, não deixe as crianças irem dormir tarde. Crianças que dormem mal têm mais dificuldade para aprender e ficam irritadiças.
  24. Mas não exagere no controle. O desejo de proteger os filhos de tudo e de todos pode deixar as mães muito ansiosas. Questione se a sua preocupação com os filhos tem interferido em outras tarefas suas do dia a dia, como o trabalho. Se o seu pensamento tem se concentrado só nos filhos, reavalie sua atitude. E você?
  25. Confie. Deixe seu filho sair, mas combine o horário em que deve voltar. Pergunte com quem ele vai e procure conhecer esses amigos. Cultive nas crianças pequenas e nos adolescentes o sentido de responsabilidade por seus atos e pelas suas escolhas porque se a superproteção prevalece, o adolescente tem dificuldade para amadurecer e assumir responsabilidades.

Lembre-se: o tratamento é feito com psicoterapia e medicamentos, dentre os quais ansiolíticos e antidepressivos. O tratamento é iniciado com ansiolíticos como, por exemplo, osbenzodiazepínicos. Logo após a estabilização do paciente, o médico pode prescrever um antidepressivo para o controle da ansiedade. Outra classe de medicamentos também utilizada são a dos beta-bloqueadores. É sempre importante que o paciente consulte um médico, pois esses medicamentos são normalmente controlados.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s