Na carreira, o importante é ter saúde.

Oi meninas!!!!

Uma coisa que sempre levei na chacota: aquela frase de mãe/avó/tia “o importante é ter saúde”. Pra mim, essa sempre foi a expressão do conformismo pueril, um consolo tolo de quem não tem o que dizer pra quem está com um pepino daqueles pra resolver. Mas, gente, a tal sabedoria popular não é chamada de sabedoria em vão. Os melhores coaches são os mais enfáticos sobre a importância de priorizar a saúde antes de qualquer coisa. Explico: quando você começa um processo de life coaching, por exemplo, precisa avaliar todas as esferas da sua vida e, ao bater o olho na área da qualidade de vida ou da saúde ali, negligenciadas, meio que trava. Você nem cogita avançar na carreira ou no relacionamento sem ao menos pensar em como melhorar aquilo.

Trabalhar e ser junkie = mix démodé

Sabemos instintivamente que precisamos nos cuidar, que nosso corpo é o motor de tudo, a ferramenta mais imprescindível pro trabalho – incluindo aí o cérebro, claro. Nem estou falando de problemas sérios de saúde, mas de não cuidar do básico. De achar que somos jovens, eternos e que não precisamos do famigerado equilíbrio, horas de descanso, alguma rotina.

Os profissionais mais-mais que conheço – em cases e os com quem convivo, não poucos! – trabalham pra caramba, mas fazem alguma atividade física e abandonaram há milênios a frescura pra comer salada, ingerir menos gordura e assim por diante. Esqueça a imagem dos yuppies fumando, bebendo e virando madrugada, isso não cola mais, isso faliu. E o que vem agora é mais que um modismo, é um clique pra vida. Saúde é inevitável para quem quer ser grande. 

Os mais ocupados fazem mais!

A pessoa quer promoção, ter o próprio negócio, realizar os sonhos mais lindos, de quimeras mil um castelo erguer… mas gastar meia horinha na esteira que é bom… nada! Não dá pra encaixar na agenda, é? Há uma teoria segundo a qual quem faz menos tende a fazer menos, e quem faz mais consegue fazer cada vez mais.

Teste express: repare como, muitas vezes, as pessoas mais “ocupadas” ao seu redor são as que mais se oferecem pra ajudar, resolver alguma coisa. Vá observando: quem responde o e-mail mais rápido? Quem te deu uma mão naquela mudança? Quem leu aquele artigo antes de todo mundo? Como gente tão ocupada consegue tempo? Organizando, oras, priorizando. E, não, essa gente não deixa a saúde no limbo.

Como trabalhar com saúde?

*Respire
Tome consciência da sua respiração o dia inteiro. Quando perceber que se esqueceu disso, faça três respirações lentas, profundas, suaves e retome o trabalho.

*Mude de ares

Gaste alguns minutos para ir a um andar diferente, a outro banheiro ou a um lugar a que você raramente vá. Se possível, passe algum tempo aí para se acalmar, respirar ou apenas ficar em silêncio.

*Renove-se

O ser humano está sempre se renovando. Dorme para se recuperar; come para ter mais energia, perde células todos os dias para dar espaço às novas.

Siga o exemplo do seu corpo e renove seu trabalho hoje. Jogue fora o que é desnecessário, tente terminar o serviço de um modo inteiramente diferente. Pense em algo que você gostaria de participar e arrume um jeito de realizar isso.

*Beba água
Beba pelo menos dois copos de água de manhã e de tarde, principalmente se você trabalha em um lugar com ar condicionado. Você vai perceber que terá menos vontade de comer doces, de fumar ou de roer unhas. E certamente terá muito mais energia.

*Procure o equilíbrio

Compare essas prioridades com o que você faz atualmente. Em qual atividade você gasta mais tempo? E mais tempo? Corresponde ao que você considera prioritário?

Esse é o primeiro passo para encontrar o equilíbrio na vida. Você precisa optar. Veja como conciliar a situação real e a ideal.

*Seja compreensivo
Da próxima vez que você ouvir um comentário ou uma crítica sobre sue trabalho, leve em conta estes pontos:

  • Não é fácil dizer a uma pessoa o que você achou do trabalho dela. Quem faz um comentário ou uma crítica está mais tenso do que quem ouve.
  • Se ninguém comentasse nada, não saberíamos em que mudar. As críticas são uma oportunidade de crescimento.
  • Lembre-se das críticas que já fizeram a seu respeito e reconheça que tiveram valor.
  • Tente perceber em que pontos você e a pessoa que fez o comentário ou a crítica concordam.
  • As pessoas não fazer críticas por maldade ou só para julgar. Fazem isso porque se importam com você. Se não se importassem, deixariam você continuar errando.

*Respeite o fundamental
Não despreze suas necessidades básicas. Coma bem, beba muita água, faça exercícios, respire ar fresco, descanse, durma cedo.

Não deixe o trabalho determinar essas coisas. Garanta espaço para suas necessidades essenciais mesmo no cronograma mais apertado.

*Reorganize-se
Você consegue reorganizar o seu espaço no escritório? Às vezes, apenas mudar as pastas de lugar, arrastar a mesa para o outro lado ou mudar a disposição dos quadros pode fazer uma grande diferença.

Que tal trazer quadros, objetos de arte, lembranças, óleos aromáticos e até música? Se nada disso for permitido, veja o que é possível fazer para dar sua cara ao local de trabalho, mesmo que precise deixar seus objetos pessoais escondidos numa gaveta.

*Deixe as farpas de lado
Da próxima vez que você estiver irritado respondendo a um email ou outro tipo de correspondência, largue tudo e dê uma volta.

Jogue água fria no rosto, tome um suco, respire fundo algumas vezes. Depois, volte e releia o que você escreveu. Tire as farpas e as palavras duras. Só então envie a resposta.

Vá lá e faça seu mea culpa corporal

Pra pensar. Será que você está cuidando do corpo, fazendo pelo menos caminhadas regulares, check-ups (expressão vintage, eu sei), tentando montar o tal do prato colorido, lendo um livro pra oxigenar a cabeça de vez em quando, dando uma volta a pé no parque…? Ah, não é por falta de informação que a gente deixa de se cuidar hoje em dia. É por procrastinação ou por negligência pura. Isso nem combina com a nossa geração, dezenas de estudos mostram o contrário, inclusive.

Não é que você precisa ser maratonista, mas se não prestar atenção em si mesma, não vai tão longe, nem consegue. Não vai, porque o corpo vai entrar em colapso antes da hora. Porque a cabeça não vai aguentar. Porque isso pode afetar a sua performance. Porque hoje em dia as grandes empresas querem gente focada em qualidade de vida. Pega bem, aumenta os números, diminui problemas no RH.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s