O que eu aprendi com o blog

Oi meninas!!!!

Blog – ainda! – é uma das coisas mais empíricas do mundo: a gente nunca recebeu muitas teorias sobre esse universo da internet nem tem livros (ok, talvez agora até tenha!) ou cases que ensinem um beabá inicial. Por isso, seja por hobby ou até por pretensões profissionais, fazer um blog sempre foi mais um lance de tentativa e erro – somado a olhos atentos e incursões Google adentro para curiosas como eu!

Esse ano fez 2 anos que tenho o blog e aprendi muito sobre a blogosfera nesse tempo.

bedroom-as-a-study-room

Ter identidade

O seu blog é você virtualizado e precisa ter uma identidade clara, e bem organizada. Quando um visitante chega ao seu blog, precisa identificar onde está, se é o conteúdo procurado, o foco etc.

Um blog sem identidade é esquecido rapidamente e o visitante fica sem interesse de retornar ou mesmo assinar o seu newsletter.

Não basta apresentar-se, ser agradável e/ou ter um tema bem definido, as pessoas têm que saber quem é você e a proposta do seu blog.

Explicando me melhor: Quantas vezes você já clicou em links de artigos, vídeos e imagens interessantes, você realmente gostou do que viu, mas não se lembrou depois de onde estava aquele conteúdo e mesmo procurando no Google não conseguiu encontrar?

Todos os dias recebemos muitas mensagens, no email, twitter, facebook etc.  indicações de conteúdo para ver e ler, Não é verdade? De tudo o que clicamos e vemos, pouca coisa é retida em nossa memória ou nos chama a atenção de forma significativa que nos faz navegar mais naquele conteúdo e mesmo guardar nos nossos favoritos aquele link.

Seu blog precisa ter uma identidade visual que vai além do layout, que passa especialmente pelo nome, pela forma como seu conteúdo é organizado, pela facilidade de navegação e pela qualidade e originalidade do seu trabalho.

Você precisa pensar em seu blog como um conjunto completo que gere uma identidade, que as pessoas se identifiquem, desperte interesse e desejo. Pode ser que isso seja muito subjetivo, mas reparar as suas preferências, seus blogs favoritos e aqueles que mais se destacam na blogosfera: eles têm identidade, são diferentes e originais.

Você conhece o autor (ao menos por nome ou perfil de rede-social), se sente a vontade naquelas páginas e até sabe o endereço de memória.

Colocar a alma

Basta prestar atenção e você vai lembrar que já percebeu algo assim: um blog ótimo, super bem feito, bonito e com toques preciosos de perfeccionismo é pouquíssimo visto/conhecido/acessado enquanto outro, com qualidade questionável, bomba de acessos. A questão? Blog precisa de alma! Não por acaso muitos dos mais bem-sucedidos nasceram de maneira absolutamente despretensiosa, sem planos ousados ou metas ambiciosas. Como em qualquer área de negócios, é preciso haver uma paixão, uma quê humano e real ou, simplesmente, alma!

Insistir

Se você bloga há algum tempo, com certeza já teve fases da vida na qual, ou estava ocupada demais para postar, ou não se identificava mais com aquele blog. Alguns deletam, começam do zero, outros simplesmente passam tempos sem postar e voltam como se nada tivesse acontecido.

Acontece que o blog, assim como você, é algo de fases. E tem fases que estamos pra blogueiros, tem fases que não… E se você as vezes se sente intimidada por manter/criar o blog, fica se comparando às grandes blogueiras, se sente inferior por não ter a vida de blogueira de luxo que muitas ostentam por aí. Tá tudo bem não ter essa vida, é ok se sentir distante do universo blogueiro e desmotivado para blogar, mas o que eu vim falar aqui pra você é: não desista do seu blog!

Muita gente não dá certo – na internet ou em qualquer situação – porque desiste antes da hora. Já o contrário é visto todos os dias: “água mole em pedra dura…”. A persistência é das melhores e mais poderosas qualidades que uma pessoa pode ter. Se agarre no seu ideal, mantenha o foco e insista.

Encarar como hábito

Sou fã da ideia de estabelecer um hábito e mudar o rumo de algo. Blogando, percebo claramente como minha audiência sobe – e desce – apenas com base no ritmo de postagens que venho mantendo. Se o leitor sabe que pode te visitar todo dia que vai encontrar coisa nova, ele se tornará mais propício a isso. Do contrário, se ele “dá com a cara na porta” três, cinco, dez vezes, é provável que tire esse hábito da sua rotina.

Desenvolver inteligência emocional

A inteligência emocional é a capacidade de identificar, utilizar, compreender e gerir as suas emoções de forma positiva e construtiva. É reconhecer o seu próprio estado emocional e o estado emocional dos outros. A inteligência emocional é interagir com os outros de forma que faça atrair pessoas.

Blogar apenas para quem te ama e concorda incondicionalmente com você só é possível enquanto você tem “dez ou vinte leitores” – nem o Papa Francisco mantém a aceitação absoluta quando se aumenta o alcance. Aprender a ouvir, a filtrar (o que vale e o que é pura maldade deletável), a ficar em silêncio, a deixar passar e a dialogar é o que há de mais rico na internet em termos de aprendizado. A gente se torna mais madura, menos mimada e mais preparada para a vida real – e, com bom senso e mente aberta, passa até a ver/ter novos e inesperados pontos de vista.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s