Lugares para conhecer em Campinas

Oi meninas!!!

Não sei se todo mundo sabe, mas eu moro na cidade de Campinas que fica no estado de São Paulo. Campinas não é conhecida como uma cidade turística perto de São Paulo, mas a cidade a 100 km da capital tem muita coisa para fazer, principalmente no final de semana.

Neste post vou mostrar alguns lugares turísticos aqui da cidade.

Bosque dos Jequitibás

O Bosque dos Jequitibás é uma das maiores e mais antigas áreas de lazer da cidade de Campinas, visitada anualmente por aproximadamente 1 milhão de pessoas. Adquirido pelo poder público municipal do Sr. Francisco Bueno de Miranda em 1915, este espaço já se constituía uma área de banhos e passeios. Atualmente o Bosque possui 10 hectares de reserva florestal nativa com várias espécies de plantas cadastradas e um zoológico com 300 espécimes de aves, répteis e mamíferos (como leões, tigres, lobo-guará, cachorro-vinagre, arara-azul, suricatas, hipopótamo, pantera, onça pintada, entre outros), uma pista de corrida, trenzinho, quiosques, lanchonetes e playground, a Casa do Caboclo (réplica em pau-a-pique de moradia rural), o Museu de História Natural, o Aquário Municipal e o Teatro Carlos Maia (especializado em teatro infantil). Em sua trajetória centenária de espaço de lazer, o Bosque dos Jequitibás mereceu do CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo) em 1970, o tombamento de seu zoológico; do CONDEPACC (Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural de Campinas) em 1993, o tombamento de todo o conjunto e do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) em 1995, o reconhecimento de seu zoológico.

Lagoa do Taquaral

A área popularmente conhecida como “Lagoa do Taquaral” constitui-se um dos mais importantes espaços de lazer da cidade de Campinas. Integrada no passado ä histórica Fazenda Taquaral, os 33 alqueires que compõem esta área foram transformados em Parque no ano de 1972, após aquisição pela Prefeitura Municipal das terras da família Alves de Lima. Destinado ao lazer, a “Lagoa do Taquaral” reúne uma grande variedade de espaços recreativos e culturais, a começar pela Lagoa Isaura Telles Alves de Lima (com pesca permitida nos finais de semana e feriados) que oferece o uso de pedalinhos, visita a uma réplica exata da Caravela Anunciação (nau que trouxe Pedro Alvares Cabral às terras Brasileiras, com 29,65 m de comprimento por 8,64 de altura, 6 velas de tecido com a cruz da Ordem de Cristo ao centro) e espetáculo de “águas dançantes” de uma fonte sonora (nos finais de semana). Já na extensa área verde que rodeia a lagoa principal, encontram-se bosques destinados a piquenique; viveiros de pássaros; área com aparelhos de ginástica; 2 playgrounds, lanchonete, sanitários e um percurso de 3 km de bondinhos (os mesmos que serviram Campinas até 1968). Entre os equipamentos culturais, o Parque Portugal/ Lagoa do Taquaral oferece a Concha Acústica – Auditório Beethoven (com capacidade para 2.000 pessoas); o Museu Dinâmico de Ciência; o Planetário; o relógio solar; o Centro de Vivência dos Idosos (no antigo Ginásio de Bocha ) e a “Esplanada das Bandeiras” (praça destinada a eventos cívicos e culturais). Entre os equipamentos esportivos, encontram-se o Ginásio de Esportes “Alberto Jordano Ribeiro” (com quadra de volei e basquete); o Balneário Municipal (com 3 três piscinas abertas ao público), uma pista de cooper com extensão de 2.800 m; o kartódromo “Afrânio Ferreira Jr.” (com pista de 800m e curvas sinuosas que atende exigências da Federação Paulista de Automobilismo); uma pista de aeromodelismo; uma ciclovia de aproximadamente 5km; uma pista de patinação (também usada para aulas gratuitas de aeróbica) e 16 quadras poliesportivas.

Pedreira do Chapadão

A praça Ulisses Guimarães, também conhecida como antiga Pedreira do Chapadão, tem cerca de 130 mil metros quadrados. Além de uma praça central para shows, há outras atrações, como espelho d’água com cascata, canteiros e plantas, pista de cooper e ciclismo. Em 16 de dezembro de 1994, foi inaugurado o Memorial Ulisses Guimarães. A escultura é composta por cerca de 2.000 chapas de aço recortadas e soldadas, formando o conjunto que pesa 2,5 toneladas, com 13 metros de altura.

Faz parte do conjunto, uma frase de Ulisses Guimarães, marcada no chão e na parede de pedra. “Nós não viemos aqui para ter medo”. A obra é do escultor Fábio Penteado.

Torre do Castelo

O “Castelo d´água”, inicialmente assim chamado, foi criado para abastecer os bairros que se formavam na região norte. A torre de 27 metros de altura foi erguida em um dos extremos da triangulação geodésica, ponto estratégico para o desenvolvimento urbano da cidade definida pelo Plano de Melhoramentos de Campinas, conhecido como Plano Prestes Maia, de 1938.

O prédio foi construído entre 1936 e 1940 com capacidade para 250 mil litros de água e com encanamentos de ferro fundido (importados da França) e seis janelas, de onde é possível ter uma visão em 360 graus da cidade. O terreno escolhido para a construção foi a praça circular do Jardim Chapadão, de onde partia uma das avenidas centrais da nova cidade, a Andrade Neves.

Em 1972, a Torre foi reformada para abrigar uma sala circular e nova urbanização da praça. Em 1991, o prédio recebeu novas alterações para a instalação do Museu Histórico da Sanasa. Já em 1998, o edifício e a praça passaram por uma grande restauração para devolver as características do início da década de 1940. No ano de 2001 foi instalada em seu interior a Rádio Educativa de Campinas.

Do alto da Torre do Castelo, podemos conhecer e compreender a cidade de maneira profunda, mergulhar na sua diversidade e aprender com a imensa riqueza cultural e histórica de Campinas.

Dentro do Projeto “Conheça Campinas”, a Torre está aberta ao público para visitas monitoradas, aos sábados e domingos.

Estação Anhumas – Maria Fumaça histórica

Um dos passeios mais legais para fazer com a família em Campinas, a famosa Maria Fumaça Campinas-Jaguariúna faz dois roteiros para o interior aos sábados e domingo.

O roteiro com percurso completo (Sábado: 10:10, Domingo: 10h10 / 15h30) demora cerca de 3h30 na viagem de ida e volta de trem. Nesse roteiro, o destino do trem Maria Fumaça é Jaguariúna, que também possui estação para passeios.

O roteiro de meio percurso vai a estação Tanquinho e a viagem completa demora cerca de 1h30. Esse passeio de trem parte aos sábados, às 15h da Estação Anhumas, em Campinas, e aos domingos, às 16h30.

Para mais informações de horários e preços das passagens do passeio de trem em Campinas e Jaguariúna e ver como chegar na Estação Anhumas de Trem, veja osite da Maria Fumaça de Campinas.

Museu Carlos Gomes

Seu acervo reúne objetos pessoais, peças diversas, o piano e instrumentos do compositor Carlos Gomes, que projetou Campinas, no cenário mundial. Tem coma finalidade preservar a vida e a obra da família, que deu início ao ensino da música na cidade. Guarda inúmeras partituras de Manoel Carlos e Santana Gomes, respectivamente pai e irmão do referido músico.

Feira de Artesanato do Centro de Convivencia

Conhecida, ainda, pela maioria das pessoas como Feira Hippie, considerando que ela foi iniciada por pessoas que se identificavam com o Movimento Hippie, a Feira de Arte, Artesanato, Antiguidades, Quitutes e Esotéricos de Campinas, ganhou, ao longo dos anos, outros contornos, abrindo espaço para outras formas de manifestação cultural.

Procurando preservar um pouco da história da Feira, a Administração Pública reserva para o artesão nômade um espaço especifico, já que ele, simbolicamente, representa a origem da Feira. Sem a iniciativa e participação dos então hippies, não se pode afirmar que hoje haveria um espaço destinado aos artesãos e outras categorias para comercializarem seus produtos.

Toda essa diversidade objetiva oferecer aos que vão à Feira produtos que atendam suas necessidades, com qualidade, criatividade e originalidade. É, também, um espaço para um simples passeio, já que o ambiente da Feira se constitui num lugar de entretenimento. Além de seu aspecto cultural, ela é, também, um local turístico, que vale a pena ser visitado.

Mercadão

Projetado pelo arquiteto Ramos de Azevêdo, o Mercado Municipal de Campinas foi fundado em 1908, em estilo da arquitetura mourista. Tombado em 1982 e em 1995, sua fachada foi pintada, o telhado reformado e os toldos de boxes trocados. Além disso, o estacionamento ganhou novas vagas e um novo projeto paisagístico passou a integrar o “Mercadão”.

No local, o visitante encontra cerca de 140 boxes. Casais costumam frequentar o local, buscando diversos produtos a preços acessíveis, como peças religiosas, ervas e especiarias. Também não faltam verduras e outros produtos no ambiente, que em cem anos de história já foi um entreposto para depósito de açúcar e até ponto de encontro entre jornalistas e intelectuais da cidade, que aproveitavam para saborear petiscos, pastéis e bolinhos. Hoje, há boxes com mesas que oferecem deliciosas porções.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s