Temos que falar sobre relacionamento abusivo…

Oi meninas!!!

O BBB17 está na reta final e, mais uma vez, um polêmico episódio repercutiu. Durante a madrugada do sábado para o domingo (09/04), o cirurgião plástico Marcos Härter protagonizou cenas de violência psicológica, verbal e física contra sua namorada, Emilly Araújo. “Tu me beliscou de novo, Marcos, tu apertou meu pulso e tá doendo”, disse a gaúcha, que foi colocada contra a parede durante a discussão. A história acabou virando caso de polícia depois que a diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher do Rio de Janeiro (Deam) teve acesso às imagens. Um inquérito foi instaurado e a polícia quer ouvir o casal.

Resultado de imagem para relacionamento abusivo + BBB17

“Presta atenção”, gritava Marcos repetidamente enquanto colocava o dedo no rosto da namorada e depois em sua boca, para que ela ficasse quieta e lhe ouvisse. Depois, o médico chorou e disse que gostava muito dela, mas que ela precisava mudar. Resignada, a jovem, 18 anos mais nova (ela tem 20 e ele, 38), o abraçou e chorou junto.

Os vídeos repercutiram na internet e geraram a hashtag #MarcosExpulso. Nas redes sociais, muita gente cravou que aquilo se tratava de um relacionamento abusivo e que a violência cometida pelo médico era motivo de expulsão do programa, foi o que aconteceu ontem(10/04). Ao vivo, o apresentador Tiago Leifert acabou normalizando a situação e afirmando que a Rede Globo estava preocupada com o “comportamento do casal”, e não especificamente com o de Marcos. “O que vimos hoje acontece no mundo real, só que sem as câmeras”, proferiu o apresentador. Ele também explicou que a produção do BBB conversou separadamente com os dois. Marcos teria sido alertado sobre seu comportamento e sobre as regras do programa. “Depois falamos com a Emilly e reforçamos que ela pode e deve procurar a produção do programa pra denúncias e reclamações”, falou o apresentador.

Quando voltou do confessionário, onde conversou com a produção, a gaúcha parecia atônita. Como se, pela primeira vez, tivesse entendido que o comportamento do namorado não era saudável.

Mas, afinal, o que caracteriza um relacionamento abusivo?

Para a psicóloga Semíramis Vedovatto, representante do Conselho Regional de Psicologia do Paraná, onde coordena a Comissão de Psicologia e Saúde, a primeira coisa é o jogo do controle entre os parceiros. “[Querer] saber onde está, com quem fala, quem são os amigos. Na vida real, vemos muitos relacionamentos abusivos em que o casal de namorados se controla por redes sociais,” define. “Esses relacionamentos têm a necessidade do controle, o ciúmes, a violência, a frieza emocional e a frieza ou abuso sexual.”

Já que esse caso foi mostrado na mídia decidi mostrar para vocês algumas dicas de como saber se o seu relacionamento é abusivo.

Revelando pessoas manipulativas

Verifique se algum dos sinais de abuso ou manipulação estão presentes

Leia os tópicos abaixo e responda honestamente, sem justificar o comportamento do parceiro – não diga “ele nem sempre é assim” ou “só aconteceu uma ou duas vezes” –, pois se isso já ocorreu, é um problema grave. Basta responder “sim” ou “não”; mesmo três ou quatro respostas positivas significam que é hora de ir procurar outra pessoa, que trate você com o respeito que merece. Seu parceiro:

  • Zomba ou constrange você na frente dos amigos e da família?
  • Minimiza suas conquistas ou não incentiva você a conquistar seus sonhos?
  • Faz com que você se sinta incapaz de tomar decisões?
  • Usa da intimidação, culpa e ameaças para obter sua complacência?
  • Diz o que você deve ou não vestir?
  • Fala como deve deixar ou pentear o cabelo?
  • Diz que você não é nada sem ele ou que ele não é nada sem você?
  • Te trata de maneira grosseira sem o seu consentimento, beliscando, agarrando, empurrando ou até agredindo?
  • Faz várias ligações por noite ou aparece para garantir que você está onde disse que estaria?
  • Usa as drogas e álcool como desculpa para dizer coisas indelicadas ou para abusar de você?
  • Te culpa pela maneira com que age ou se sente?
  • Faz pressão para fazer sexo, mesmo que você ainda não se sinta preparado?
  • Dá a sensação de que “não há como sair” do relacionamento?
  • Evita que você faça outras coisas que gosta, como ficar perto da família e de amigos?
  • Não deixa que saiam de um lugar após uma briga ou abandona você em algum lugar após um desentendimento, só para “ensinar uma lição”?

Fique atento a histórias ou rumores sobre o parceiro

Já ouviu várias versões da mesma história? Os amigos contam coisas sobre ele que você nunca tomou conhecimento ou que o parceiro sempre rejeitou? As “meias-verdades” e memórias seletivas geralmente significam que a pessoa está “modelando” a verdade para você, o que é um indicativo grave de manipulação; descubra o que é realmente mentira e o que é verdade.

  • Ao controlar e manipular, o parceiro não mentirá, mas sim falará apenas “meias-verdades” e omitirá fatos. Ao analisar bem, será possível perceber que há coisas estranhas para levar você a pensar melhor, mas não o suficiente para reanalisar todo o relacionamento.
  • Caso isso aconteça mais do que uma vez, pare e lembre-se de que não é a primeira vez que você teve essa reação. Comece a analisar as discrepâncias entre o que essa pessoa diz e compare com as declarações dos amigos dela. Ao encontrar muitas diferenças, fale com o parceiro sobre o assunto; se a reação ou as respostas dele não forem satisfatórias, é hora de reavaliar o relacionamento de forma séria.

Mantenha os amigos por perto, principalmente se o parceiro estiver tentando fazer com que você se distancie deles

O isolamento é uma tática para dominar você, e o parceiro abusivo buscará até uma maneira de fazer com que pareça que a decisão de ficar longe deles é sua. Verifique se o parceiro está sempre falando pelas costas dos amigos, fazendo piadas sobre sua família ou discutindo com você em noites em que você for sair com amigos. Se for o caso, o relacionamento é nocivo e deve ser evitado a qualquer custo.

  • Pessoas controladoras adoram causar tensão e drama e vão “agitar” a situação de várias formas. Provocações, agir de forma passivo-agressiva e iniciar conflitos são algumas delas; depois, como se fossem crianças inocentes que nada fizeram, vão levantar as mãos e apontar o dedo na direção de seus amigos e parentes.
  • É muito mais fácil para que a pessoa manipule quando você determinar que há muita tensão entre o parceiro e os entes queridos, fazendo com que em breve você não tenha ninguém para pedir ajuda, a não ser ele.

Dispense comportamentos excessivos de possessividade e ciúme

É legal quando o parceiro te protege, mas exageros são sempre assustadores e incômodos. Ele fica “interrogando” e perguntando onde você estava ao se atrasar cinco minutos por chegar em casa ou ao sair sem comunicar a ele? O manipulador pergunta com muita agressividade sobre o porquê de conversar com um certo indivíduo? Ou diz que você não se importa com ele só porque saiu uma vez com os amigos?

  • Um pouco de ciúme é normal, até “bonitinho”. Mas isso não deve afetar os relacionamentos diários, pois é indício de que o parceiro não acredita em você. Não vale a pena nutrir afeto por um parceiro que não confia em você.

Ao se ver em situações em que você não leva vantagem, distancie-se

Por exemplo: o seu parceiro pode atrasar duas horas, mas você é “atacado” ao atrasar cinco minutinhos? Ou se o manipulador flertar com outro é “só uma brincadeira”, mas ao cumprimentar alguém, você é acusado de ser infiel? O manipulador reclama se você poupa dinheiro, mas também se o gasta? Ou seja, a culpa é sempre sua, o que é algo imperdoável e que não pode acontecer. São formas que esse indivíduo usa para mexer com sua cabeça, muito comuns em relacionamentos manipulativos. Como ele sempre tem razão e você está sempre errado, saia o quanto antes de perto dele!

Ignore as tentativas falsas do manipulador em ser “legal”

Isso acontece depois que a pessoa faz algo imperdoável e depois quer o seu perdão. Fique atento e verifique se o comportamento inadequado dele volta a acontecer assim que ele acredita que já o “fisgou” novamente e conta com sua “complacência”.

  • Nesse momento, o controlador pode até começar a chorar, dizendo que deseja sua ajuda para mudar, principalmente quando você disser que não vai tolerar mais tais comportamentos. Muito provavelmente, o parceiro dará presentes e coisas caras para tentar impressionar e ganhar uma segunda chance. Caso ele traia sua confiança novamente, corte relações e distancie-se.

Colocando a si mesmo em primeiro lugar

Seja honesto com você mesmo, ainda que seja doloroso

Não vai ser algo legal; afinal, relacionamentos manipulativos nunca são. Mas é necessário fazer uma “reciclagem” para saber quais são as preocupações e os sentimentos que nunca entenderá. Esse relacionamento é saudável ou não? Tente ser o mais objetivo possível, analisando como as coisas mudaram desde que conheceu a pessoa.

  • Seja honesto: o sexo interfere em seu julgamento? Independentemente de o parceiro ser ótimo de cama ou não, essa nunca deve ser a única razão para relacionar-se com ele.

Pense em como ele faz você se sentir

A pessoa que mais deve ser valorizada em sua vida é você mesmo, não é? Não ache que seus sentimentos são exagerados, sem importância ou tendenciosos; ao não ficar à vontade no relacionamento, quer dizer que o outro indivíduo não está tratando você bem. Distancie-se dele e ponto final. Isso é ainda mais válido se ao identificar as seguintes situações:

  • Sentir-se assustado pela forma como parceiro vai agir ou reagir.
  • Sentir-se responsável pelos sentimentos do parceiro.
  • Arrumar desculpas para justificar o comportamento do manipulador a outras pessoas.
  • Acreditar que tudo é sua culpa.
  • Evitar qualquer coisa que possa causar conflito ou irritar o parceiro.
  • Sentir que o parceiro nunca está feliz com você.
  • Fazer sempre o que ele quer e nunca o que você deseja.
  • Ficar com o parceiro pois tem medo do que ele pode fazer ao terminarem o relacionamento.

Analise o resto dos seus relacionamentos

A relação que possui com parentes e amigos estão cada vez mais tensas sempre que o nome do manipulador é trazido à tona, ou quando você fala sobre amigos e família com o parceiro? Se todos que se importam com você demonstram preocupação quando o nome do sujeito é falado, algo está errado.

  • O parceiro faz com que você mostre suas características boas ou ruins? É necessário amar a si mesmo sempre, pois você é uma pessoa incrível. Caso não se sinta assim, muito provavelmente a energia negativa dele está manipulando-o a chegar ao mesmo nível baixo desse indivíduo.
  • Esteja atento à maneira com que ele se comporta perto de sua família e amigos, em especial se ele falar mal deles e discutir com eles a todo momento.
  • Decidir que é “mais fácil” ignorar os amigos e família é determinar que esse monstro conseguiu manipulá-lo e vencer. É fundamental de acabar com esse relacionamento tóxico.

Ignore suas próprias desculpas, pois está sendo tendencioso devido ao amor

Apaixonar-se intensamente não é algo necessariamente ruim, mas não é saudável ter olhos apenas para essa pessoa por muito tempo, pois você poderá “fingir-se de cego” aos sinais de que algo está errado, mesmo quando amigos e familiares avisarem a mesma coisa. É importante ter momentos para refletir e saber o que é certo e o que é errado. Distancie-se do relacionamento durante alguns – da maneira que puder – e pergunte a si mesmo:

  • Está sempre se desculpando ou defendendo o comportamento do parceiro em relação a você? Em relacionamentos saudáveis, isso não deve ser algo normal, pois a outra pessoa deve ser boa o suficiente para mostrar que é óbvio o porquê de estarem juntos.
  • Você esconde coisas das pessoas? É necessário ter privacidade, claro, mas não “esconda o monstro” embaixo da cama. O problema não é ocultar fatos, mas sim que você está saindo com alguém que não é boa pessoa, exigindo que mantenha certos segredos.
  • Você faz sempre o que o parceiro quer? Com certeza você não está em um relacionamento sério para sofrer com outro “chefe” mandando também em sua vida, não é? Todos têm direito a dar uma opinião e que elas sejam respeitadas. Esqueça pessoas que não o levam em consideração.
  • Perdeu o contato com amigos e parentes? Independentemente da paixão que tiver pela pessoa, nunca perca o contato com grandes amigos e familiares por causa do namorado. Se for manipulador, ele tentará isolar você devido à facilidade de controlar suas ações, em especial se for do tipo que sempre falar mal de seus amigos e parentes.

Pare de odiar a si mesmo por amá-lo e termine o relacionamento o mais rápido possível

Reconheça que a pessoa é incrível – superficialmente – e que você não deve se punir por sentir atração por ela. É normal que os manipuladores tenham características de inteligência e charme, e é exatamente por isso que conseguem controlar outras pessoas. O melhor a se fazer é cortar as relações com esses indivíduos, pois são rasos e não merecem seu tempo. Além disso, a culpa disso é do manipulador, não do manipulado; isso só está ocorrendo é porque você é melhor que ele, o que é mais uma razão para deixá-lo a ver navios.

  • É necessário entender que o manipulador usa seu amor por ele contra você, prendendo-o no relacionamento. Não é culpa sua por amá-lo; ele que deve ser responsabilizado por usar o seu amor como vantagem para ter controle.

Dicas Extras

  • Não seja ruim com o parceiro. Não é necessário ser igual a ele para fugir do relacionamento; apenas diga que não há compatibilidade e você não deseja continuar o namoro ou casamento. Ponto final. É desnecessário ficar explicando todos os “sinais de aviso” desse artigo, pois esse tipo de pessoa nunca vai reconhecer que está errada. É como ensinar um porco a cantar – você perderá seu tempo e o porco vai ficar mais nervoso ainda.
  • Se o manipulador já o ameaçou, leve isso a sério e tenha um plano de segurança. Nunca subestime o quão longe certas pessoas podem chegar para manter alguém sob seu poder. Não hesite em ligar para a polícia caso julgue necessário.
  • Confesse os erros aos amigos e famílias. Peça desculpas para para eles – nunca para o manipulador – por marginalizá-los e não considerar a opinião ruim que tinham sobre essa pessoa. Diga também que deveria ter dado ouvido a eles ao mesmo tempo em que externa toda a mágoa e raiva que sentiu, pois seus amigos e parentes ficarão felizes em compartilhar esse momento. Fale que cortou a relação com a pessoa e que o relacionamento acabou, para a felicidade de todos.
  • Não despreze as opiniões de amigos e parentes, pois eles apenas querem o seu bem. Uma pessoa pode ser ignorada, mas não todas; elas estão dizendo que seu comportamento está estranho ultimamente, ou que parece estar diferente, mas não de maneira positiva? Alguém que você ama já mostrou descontentamento com seu parceiro?
  • O estabelecimento de controle é sutil e geralmente ocorre com o passar do tempo. Todo o propósito do artigo é ajudar a examinar seu relacionamento e procurar sinais que indiquem que isso está acontecendo, já que eles podem ser sutis. Um sinal por si só pode não ser problema, mas vários deles já é motivo para conversar sobre o assunto com parentes e amigos. Caso eles afirmem que já perceberam esses indícios, pode ser hora de reavaliar a relação – se possível, fora do controle do parceiro.
  • Quando tais manipuladores parecem dizer uma coisa, mas fazem outra, abra os olhos e não ouça o que dizem. Decida-se com base no comportamento e a conduta dele em vez de ouvir o que ele fala. Muitas vezes, as desculpas não são sinceras – o que os controladores querem de fato dizer é “Desculpe por não gostar, mas eu farei isso de novo”.

Avisos

  • Pessoas que controlam e manipulam os outros são influenciadas por fatores externos, como pais abusivos ou transtornos mentais e clínicos. Não há como mudar ou “salvar” esse tipo de pessoa, independentemente de quanto se importar com ela. As melhores opções de ajuda são se recusar a ser vítima e direcioná-los a um local para obter ajuda profissional.
  • Fique atento a comportamento agressivos e ameaças, inclusive aos amigos e parentes ou a cometer suicídio. Não confie em seu próprio julgamento para determinar se as ameaças são sérias; chame a polícia imediatamente. Provavelmente, é apenas uma pessoa difícil, não perigosa, mas é bom não arriscar. Se necessário, obtenha uma ordem de restrição e ligue para a polícia sempre que ela for infringida.
  • A compaixão não é um sentimento fácil de ser entendido ou aceitado por essas pessoas, o que só machucará a você ainda mais no final das contas, além de ser usado como uma arma pelo manipulador. Cortar relações com ele pode parecer algo cruel, mas isso acaba com as brigas e confrontos, forçando-os a continuar a vida ou procurar ajuda.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s